Google+

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Imagine um homossexual qualquer



Ser homossexual exige, antes de tudo, coragem. Antes das baladas, dos memesda Inês Brasil e das gírias próprias, nascer e crescer homossexual é um ato de bravura admirável. Não, não estou exagerando. Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas em certos momentos, temos mais medos que esperanças no futuro, sensação que aprendemos a conviver para nos mantermos sãos e, o mais difícil, vivos.


É difícil pensar que alguém escolheria ser gay, nas conjunturas que nos foram impostas. De verdade, você acredita que alguém escolheria a possibilidade de perder pais, amigos, oportunidades de trabalho pelo simples fato de amar alguém do mesmo sexo que ele? Ou, pior, alguém escolheria viver sobre a vigilância de olhares maliciosos à espera de um momento para agredir-nos fisicamente? Eu sei, nesses tempos isso tem sido quase impossível, mas se coloque no lugar do outro…


O medo de não ser aceito assombra nossa mente desde muito novos, quando nos entendemos homossexuais. Você que convive de perto com um homossexual, aceitando-o ou não, já imaginou a dor e o pavor de ser simplesmente quem se é; as lágrimas de desespero implorando a Deus “cura”; os planos de se adequar a heterossexualidade; a tentativa de provar, incansavelmente, sua sexualidade…. Eu sei, nesses tempos isso tem sido quase impossível, mas se coloque no lugar do outro…


Doeu, né? Na gente também, doeu e dói muito. Existem violências que não deixam marcas na pele, mas são tão profundas que nos marcam até o final da vida. Mesmo que o homossexual que você conheça não tenha sido vítima de homofobia, imagine o receio que ele tem em andar de mãos dadas nas ruas ou de ser afeminado mesmo em locais seguros. Desde muito cedo aprendemos que não existe local totalmente protegido, mesmo nos bairros ditos “mente aberta”. As agressões ao casal da Paulista e os ataques nas Praias da Zona Sul denunciam que não estamos seguros, por mais que viaturas da polícia nos cerquem. Eu sei, nesses tempos isso tem sido quase impossível, mas se coloque no lugar do outro…


Você pode dizer que melhorou bastante e o futuro promete… Bolsonaro! Sim, um homem que dedica sua — longa e cara — carreira de parlamentar a perseguir minorias cresce a cada dia em intenções de voto dos lares brasileiros. Seus seguidores se multiplicam e seu discurso começa a ecoar nas ruas, assim como nossos gritos de socorro! Sem contar Marco Feliciano e Silas Malafaia que atacam o que somos em nome de Deus, nos transformando na escória da sociedade.


E tememos Deus…


E tememos ser deixados…


E tememos ser agredidos…


E tememos ter medo…


Ser homossexual exige, antes de tudo, coragem. As marcas no corpo, na alma e no espírito são os sinais de homens, mulheres e trans que não desistiram de ser quem realmente são e lutam a cada dia por se espaço no mundo, no Brasil, dentro de suas casas e dentro de si mesmas. Alguns não resistem e se vão pelo caminho, mas é em nome delas que estamos aqui, e é em nome de uma em especial que estou aqui, gritando ao mundo a delícia de ser quem eu sou, pois a dor muito poucos imaginam.


Em memória de Luan Ferreira de Castro*, que partiu há dois anos atrás, depois de uma tentativa FALHA de cura gay e consequente suicídio.


**


No mais, assistam o vídeo, é gringo, mas a dor é universal…


https://www.youtube.com/watch?v=HruTY0ue1ns

Um comentário:

#HTML10{background:#eee9dd ;}